Associação Brasileira da Construção

Industrializada de Concreto

Confira a evolução das estimativas para os principais indicadores econômicos

O Informativo Econômico Especial Pesquisa Focus, divulgado na segunda-feira (13/09) pelo Banco de Dados da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), destaca a evolução das estimativas para os principais indicadores econômicos nacionais (PIB, inflação, juros e câmbio).

Segundo a economista da CBIC, Ieda Vasconcelos, após uma semana conturbada com as incertezas políticas e a divulgação da inflação no maior patamar dos últimos 21 anos para um mês de agosto, a pesquisa Focus, realizada pelo Banco Central, destaca que a projeção para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA/IBGE), indicador oficial da inflação no País, aumentou pela 23ª semana consecutiva e passou para 8%.

“O centro da meta inflacionária para 2021 é 3,75%, com limite inferior de 2,25% e superior de 5,25%. Portanto, a inflação deverá encerrar o ano bem acima do seu teto”, ressalta Vasconcelos.

Destaca ainda que, pela 5ª semana consecutiva a estimativa para o desempenho do Produto Interno Bruto (PIB) sofreu redução. “Enquanto há uma semana aguardava-se alta de 5,15%, agora espera-se crescimento de 5,04%. No final de julho e início de agosto esta projeção chegou a ser 5,30%”, menciona.

No que se refere ao dólar, a previsão é de que ele encerre 2021 em R$ 5,20. Na semana anterior (03/09), esperava-se R$ 5,17.

Já a expectativa para os juros básicos da economia sofreu forte deterioração. “Espera-se que a Selic encerre 2021 em 8%. Há quatro semanas essa projeção era de 7,50% e na semana passada 7,63%. Certamente o cenário mais conturbado e a inflação persistente contribuíram para essa forte elevação”, diz.

Matéria publicada na Agência CBIC