Associação Brasileira da Construção

Industrializada de Concreto

EDITORIAL - 87º NEWSLETTER - EDIÇÃO ESPECIAL 79

Em outubro, o INCC aumentou 0,86%, a maior alta registrada pelo indicador desde junho de 2021 (2,16%). Esse resultado indica que o aço voltou a aumentar e a novamente puxar o custo da construção. De janeiro a outubro, os vergalhões e arames de aço ao carbono já aumentaram 48,39% e, nos últimos 12 meses, 60,74%. No caso do cimento, apesar das vendas acumuladas até outubro continuarem registrando alta no período, o resultado mensal é o pior do ano, com volume comercializado volume de 5,4 milhões de toneladas, uma queda de 9,5% em relação ao mesmo mês de 2020. 

Sobre conjuntura macroeconômica, o Sinduscon-SP trouxe um editorial em que afirma que não é momento de se realizar a reforma tributária, pela conturbação vivenciada atualmente, que deixará o país ainda mais distante da necessidade premente de gerar empregos.

A respeito da industrialização, o SindusCon-SP e a AsBEA-SP entendem ser inadiável intensificar, na construção residencial, a industrialização já adotada com sucesso em obras comerciais, institucionais e de infraestrutura. Essa informação é bastante relevante, pois mostra o movimento em prol da industrialização da construção no país

Já sobre o pré-fabricado de concreto, destaque para o artigo de minha autoria publicado no site do Concrete Show, que destaca que os sistemas construtivos industrializados estão prontos para atender todas as demandas da construção. Além disso, uma matéria aponta que o setor de dormentes pré-fabricados de concreto deve crescer, devido às concessões ferroviárias. 

Nesta semana, a newsletter contempla uma matéria sobre a nova temporada de concessões que deve gerar mais de R$ 23 bilhões de investimentos em infraestrutura; um artigo sobre o 5G e o setor de engenharia; e o ranking das 50 maiores construtoras latinas, que foi alterado devido à pandemia.

Um abraço a todos.

Iria Lícia Oliva Doniak
Presidente Executiva