Associação Brasileira da Construção

Industrializada de Concreto

Primeiro núcleo de engenharia e construção do Brasil tem implantação prevista para este ano

Neste ano, a ABEMI (Associação Brasileira de Engenharia Industrial) está fortemente focada no que está sendo chamado de Movimento Brasil 4.0, em conjunto com o Instituto de Engenharia (IE), Sinicon (Sindicato Nacional da Indústria da Construção Pesada-Infraestrutura) e a consultoria Deloitte – empresa de auditoria, consultoria, assessoria financeira, entre outros serviços, com escritórios em 150 países.

Essa inciativa ambiciosa que já começa a colher resultados importantes, tem por objetivo levar a indústria brasileira de Engenharia e Construção à liderança global de produtividade e competitividade.

E uma das frentes deste projeto é a implantação, ainda em 2021, do NESCOR 4.0 (Núcleo de Engenharia e Construção), no PTS, Parque Tecnológico de Sorocaba (SP), que contará com ambiente físico externo, onde equipamentos utilizados em “canteiros digitais” estarão operando e disponíveis para atividades de pesquisa e desenvolvimento, ensino, testes etc.

Contará também com ambiente interno, onde estarão instalados e em operação equipamentos para design em BIM, Realidade Virtual (VR) e Realidade Aumentada (AR), Inteligência Artificial (AI), drones, laser-scan e outros.

O NECSOR contará com recursos para acesso remoto. Pessoas que estejam distantes poderão interagir virtualmente com os recursos e pessoas que estejam fisicamente no NECSOR.

Os entendimentos para a implantação estão avançando rapidamente, a exemplo da recente visita de mais de 40 empresários do setor, além de autoridades civis e políticas. Na ocasião, o grupo foi recebido pelo presidente do PTS, Nelson Tadeu Cancellara.

Durante a visita, os representantes da Abemi (Associação Brasileira de Engenharia Industrial), Sinicon (Sindicato Nacional da Indústria da Construção Pesada), do Instituto de Engenharia e da Deloitte Brasil tiveram a oportunidade de conheceram a estrutura do Parque Tecnológico.

Para o presidente da Abemi, Gabriel Aidar Abouchar, o NECSOR 4.0 é imperativo. “Este encontro no Parque Tecnológico de Sorocaba é vital para que possamos nos estruturar e avançar na área de construção de infraestrutura brasileira”, comenta.

O Brasil e as empresas brasileiras de engenharia e construção precisam implementar iniciativas como esta para acompanhar ou superar as ações de outros países e empresas. “As empresas que não inovarem e não aderirem à tecnologia ficarão obsoletas”.

O NECSOR, destaca Abouchar, “pode vir a ser o precursor de outros locais no Brasil com instalações para, por meio de atividades em redes, contribuir para desenvolver e disseminar mais inovações para a indústria brasileira de engenharia e construção”.

Opinião esta corroborada pelo presidente do Parque Tecnológico, Nelson Cancellara ao afirmar que este encontro com os executivos teve por objetivo dar prosseguimento às conversas iniciadas já há três meses. “Todas essas entidades, somadas às universidades que possuímos e mais ao Poder Público, terão papel fundamental para a expansão da área de construção”.

Já o presidente do Instituto de Engenharia, Paulo Ferreira, afirma que a união das entidades que vão compor o NECSOR 4.0, somada à força do Parque Tecnológico de Sorocaba, “trará uma nova era para as grandes obras realizadas no país. Vamos gerar empregos e ganhar visibilidade, inclusive no cenário internacional”.

Por sua vez, a Deloitte, cuja matriz é em Nova York, Estados Unidos, reafirmou a importância interesse em estar no projeto a ser implantado no PTS. “Vamos participar de maneira gratuita, pois se gerarmos aumento de produtividade na área de infraestrutura, que hoje representa cerca de 10% do PIB [Produto Interno Bruto], conseguiremos ter um avanço no país como um todo”, afirma a coordenadora do Centro de Excelência da empresa, Danielle Ávila.

Matéria publicada na Grandes Construções